DJ Tahira fala sobre a festa eclética Moodz e referências europeias

Produtor e pesquisador é único no Brasil na arte de mesclar estilos e ritmos

 DJ Tahira: “Quero tocar tudo que gosto

Do vintage ao contemporâneo, do ocidente ao oriente. Esse é o lema da Moodz, nova festa da noite paulistana, que reúne grande diversidade musical para criar pistas dançantes e experiências coletivas. Com temática surrealista, a primeira edição, intitulada “Corpo de Baile”, acontece em 8 de agosto, no Cabaret Uranus – teatro “classudo” do centro da capital. As pick-ups ficam por conta dos DJs Brunó e Tahira, reconhecido internacionalmente por sua habilidade em animar os salões.

DJ, produtor e pesquisador musical, Tahira deu a letra sobre o que espera da festa Moodz deste sábado: “Quero tocar tudo que gosto. Desde música brasileira até latina e africana, com disco, house, jazz e reggae. Vou ir modelando o som de acordo com a vibe do público”, conta.

Com um vasto histórico nas mais calorosas e conceituadas festas de Nova Iorque, Berlim, Hanôver, Londres, Barcelona e São Paulo, Tahira é conhecido pelo seu ecletismo musical e repertório sofisticado. “Eu acho as festas ecléticas as mais divertidas. Ninguém precisa ser cabeção em música para dançar boa música. Na Europa, é mais comum esse tipo de festa, porque existe mais cultura na educação da galera de lá”, afirma.

DJ Brunó, residente da MoodzDe acordo com DJ Brunó, um dos idealizadores e residente da festa, a Moodz busca trazer novidades em termos de experimentação sonora. “Essa festa marca o nascimento de um projeto, que une as melhores referências de música negra e seus desdobramentos no mundo. Vamos jogar estilos e ritmos num caldeirão com uma pitada de amor e ousadia e esperamos que a pista transforme isso em energia dançante”, conta. Grande conhecedor de música black norte-americana, brasileira e eletrônica, Brunó vem ganhando espaço no circuito alternativo de São Paulo.

Internacional e eclético

Para Tahira, o mais legal de uma festa eclética é a mistura de público: “Manos, boys, patricinhas, hippies, maconheiros, bêbados, junkies, curiosos, nerds, gays, heteros. Todos frequentando a mesma festa, curtindo uma viagem musical”.

No mundo, alguns exemplos de festas ecléticas são “Jazz It Up”, na Estônia, “Calamarie Moon”, em Hanôver, “Movimientos”, em Londres, e Musicbox, em Lisboa. “São Paulo teve essa fase entre o final dos anos 1980 e começo dos 1990”, lembra Tahira.

Pesquisa musical

Tahira é considerado um dos representantes da nova geração de DJs que surgiram na Europa, no final dos anos 1990: o chamado DJ pesquisador musical. Seu som tem influências de jazz, soul, funk, música brasileira, latina e africana.

Cabaret Uranus, local da festa MoodzNos toca-discos, Tahira mistura antigos nomes de peso, como Nina Simone, Fela Kuti, Milton Banana, Curtis Mayfield, Herbie Hancock, e Mongo Santamaria a novos artistas, como Jazzanova, Mr. Scruff, Nuyorican Soul, Mathew Herbert e The Roots.

O repertório pode ir desde os anos 1960 até as últimas novidades musicais. Seu som é internacional, moderno e vintage ao mesmo tempo. No Brasil, é o único do gênero. E é justamente essa peculiaridade que o faz um dos brasileiros mais atuantes no exterior, com turnês mundiais, tendo passado por 35 cidades da Europa e Estados Unidos.

Serviço
8 de agosto (Sábado) – 22h
Cabaret Uranus - Rua Doutor Carvalho de Mendonça, 40 / Santa Cecília (SP)
R$ 20 (bilheteria)
Mais informações: https://www.facebook.com/events/Moodz

Line Up
DJ Brunó
DJ Tahira

 

Inscreva-se no Moozyca

Leia também

DJ fala sobre o projeto Forrúmbia, que une forró e cúmbia em Berlim

“Quero a música do oprimido”, afirma DJ Mukambo de Bruxelas

“Sou mais ter uma ideia e experimentar”, conta produtor francês iZem

Alemães do Raggabund trazem seu som multicultural para a América do Sul

Festa eclética Moodz aterrissa no bairro do Pacaembu

Moozyca foi dançar o forró da capital nacional do pé de serra

O baile jamaicano-tupiniquim da OBMJ

Tropical Diáspora: a difusão da música afro-americana em Berlim dos anos 90


Inscreva-se no Moozyca