Avante O Coletivo lança segundo disco com participações internacionais

Disco traz influências do rap e ritmos da França, EUA, Uruguai e Brasil

Por

A experiência nas ruas e os intercâmbios com o mundo afora estão expressos em 10 faixas

O grupo de rap Avante O Coletivo inicia as comemorações dos 10 anos de resistência com estreia do segundo álbum “Destravante: A Chave Mestra dos Etiquetas de Rua”. Formado por U-China, Jota B, DJ Ivonverine, Tiago 08ou80 e Xuvisco, o coletivo com sede em Heliópolis tem como principal intuito levar a arte e cultura avante, além das barreiras sociais e territoriais. Segundo a banda, o álbum tem como ideal a quebra de barreiras territoriais do mundo e da mente, retrato de um período importante para Avante O Coletivo.

A experiência nas ruas e os intercâmbios com o mundo afora estão expressos em 10 faixas com participações especiais dos franceses Dajanem, Gringoo, Gonzo, Sir Samuel do Saian Supa Crew e do grupo NouvelR, da americana Kata Jin e do uruguaio Pajaro Canzani. Entre os brasileiros estão: Max B.O., Jamés Ventura, Arnaldo Tifu e a banda Mato Seco.      

Um rolê pelo mundo

Foi em 2014, na segunda turnê para Europa, que iniciaram o processo de produção do novo álbum, o segundo da carreira. Na França, o grupo passou por Angers, onde, em meio à troca cultural e à mistura de sonoridades, escreveram “Cria da Quebrada” e “Alchimie”, que têm participações de Dajanem, Gringoo, Gonzo e o grupo Nouvel R.

Na Suécia, surgiu “A Bussola”, faixa produzida por Sono TWS, que viajou junto com o coletivo. Enquanto os outros integrantes voltaram ao Brasil, U-China ficou para o estudo da língua francesa e conheceu em um show do Criolo o músico Pajaro Canzani, uruguaio que reside em Paris.

Criou-se um vínculo e, no estúdio de Pajaro, foram gravadas três músicas: uma cumbia misturada com Rap chamada “Ponga Play”, a parceria com o beat maker Bolin em “Pedalada” (que teve clipe gravado em passagem por Londres), e “Atlantique”, uma diáspora cultural africana que teve participação de Sir Samuel, do grupo francês Saian Supa Crew.

Enquanto isso, as atividades também prosseguiam no Brasil, onde o coletivo registrava as músicas “Simples Giro”, com Jamés Ventura, e “Observar”, com Max B.O, no estúdio Estrondo. Para completar um álbum cheio de conexões que o respeito e a fé na arte permitiram, foram gravadas as músicas já compostas antes da segunda turnê, “Minha chance é correr” com o MC do ABC Arnaldo Tifu e “Tudo tem seu valor”, música feita com a banda de reggae brasileira Mato Seco.

Pôster produzido com flyers e registros da turnê Europeia realizada em 2014/2015 , direção de arte por Tiago 08ou80.

Inscreva-se no Moozyca

Leia também

Alemães do Raggabund trazem seu som multicultural para a América do Sul

DJ e produtor Felipe Soares lança disco autoral

O cientista da vanguarda baiana

Fora de Frequência lança videoclipe em prol dos Direitos Humanos‏

Mariella Santiago lança segundo álbum

Rapper Billy Saga lança trailer de "Derrubo um Rei"

Já sabe o que ver na Virada Cultural deste fim de semana?

35 anos sem Vinicius de Moraes


Inscreva-se no Moozyca