Guerrilha lança primeiro disco e avisa: "onde houver golpe, haverá guerrilha"

Com influências de new metal, punk e pop rock, banda consolida a caminhada em disco “Sangue, Lágrima e Suor”

Além de Kbça nos vocais, a Guerrilha conta com Jimmi na guitarra, Punk no baixo e Nicolas na batera. O disco, que pode ser ouvido nas todas as plataformas de streaming.

Em meio à podridão da política nacional, com ameaças de golpe, esquemas de corrupção sendo sistematicamente desvendados, a Guerrilha, banda paulistana de rock independente lança seu primeiro disco, que vem pra consolidar os mais de dez anos de caminhada do grupo na cena underground de São Paulo. A data do lançamento faz referência ao golpe civil-militar, que completou 52 anos em 31 de março. Segundo o vocalista da banda, Kbça, a escolha foi para reforçar a posição contrária da banda aos acontecimentos daquele período e lembrar que “onde houver golpe, haverá Guerrilha”. 

Confira o clipe da música Guerrilha, single lançado em 2013 e que faz parte do disco. É pesado:

 “Sangue, Lágrima e Suor” vem carregado de fortes discursos políticos e de uma sonoridade agressiva. Disponível em todas as plataformas de streaming, o disco é um grito de revolta de uma juventude que não aguenta mais ser massacrada pela opressão de um estado bandido, corrupto e pernicioso. O vocalista da banda, Kbça, afirma que as letras da banda “retratam temas ligados ao cotidiano urbano e periférico, que nos levam a questionamentos sociais e existenciais também... Mas nunca limitamos a criatividade, falamos sobre o que importa pra gente”.

Ainda segundo o vocalista, as letras do grupo são influenciadas pela lírica dos anos 1980, enquanto a sonoridade faz referência a bandas de rock dos anos 1990. “Nossas grandes referências musicais são bandas como Rage Against The Machine, Planet Hemp, Inocentes, além de várias outras de outros estilos, é claro. O que caracteriza nosso som é um arranjo pesado, sujo mesclado com levadas mais ‘clean’ e ‘funkeadas’”, aponta Kbça.

O álbum tem 12 faixas e foi produzido por Daniel de Sá, do Estúdio GR - zona norte de São Paulo. O produtor destaca o lado visceral da banda. “Foram quase dois anos de gravação, pensamos em todos os detalhes, buscando sempre uma sonoridade sincera, mais próxima do real. Fiquei muito satisfeito com o resultado do trabalho, porque conseguimos achar o equilíbrio perfeito entre o peso e o groove que a banda apresenta em seus shows”, destaca o produtor musical.

Além de Kbça nos vocais, a Guerrilha conta com Jimmi na guitarra, Punk no baixo e Nicolas na batera. O disco, que pode ser ouvido nas todas as plataformas de streaming.

Ouça o disco todo NESTE LINK.

Inscreva-se no Moozyca

Leia também

Bedibê lança Envelhecer, com influências do samba ao rock

7 músicas que mostram pq o punk é o ritmo mais influente da história do rock

Trigonotron lança álbum com misturas que vão do rap ao violino

“Quero a música do oprimido”, afirma DJ Mukambo de Bruxelas

Pernambucano Jota Erre lança o seu segundo álbum, Binário

Mariella Santiago lança segundo álbum

‘É mais barato produzir, então se produz muito’

Banda cearense Astronauta Marinho lança álbum “Menino Sereia”


Inscreva-se no Moozyca