Já sabe o que ver na Virada Cultural deste fim de semana?

Moozyca reuniu 13 atrações para tornar o seu fim de semana mais interessante

Na virada do sábado para o domingo, você poderá assistir a um showzão do mestre Hermeto Pascoal, no Theatro Municipal de São Paulo

Você já sabe que artistas vai ver na Virada Cultural de São Paulo, que começa neste sábado (20/6) às 18h? São 24 horas de shows e outras apresentações, que vão até o fim da tarde de domingo.

O evento, que oferece programação totalmente gratuita, acontece em várias regiões da cidade de São Paulo, em unidades do Centro Cultural Unificado (CEUs) e do Serviço Social do Comércio (Sesc), bem como em palcos montados no centro da cidade de São Paulo.

Por conta do enorme número de artistas e apresentações espalhadas por toda a cidade, muitas pessoas ficam confusas, sem saber o que vale a pena ver. Por isso, o Moozyca reuniu 13 atrações para tornar o seu fim de semana mais interessante. Confira!

Hermeto Pascoal, Arismar do Espírito Santo e Nenê
Na virada do sábado para o domingo, você poderá assistir a um showzão do mestre Hermeto Pascoal, no Theatro Municipal de São Paulo. As apresentações nesta casa sempre são bastante concorridas, por isso, é recomendável chegar com antecedência. O jazz brazuca e experimental de Hermeto será embalado pela bateria do lendário Nenê, com quem já tem décadas de parceria, e de Arismar do Espírito Santo, compositor e multi-instrumentista, que toca baixo, guitarra, violão, piano, bateria, etc. Promete ser um baita show.

Dona Onete
Cantora e compositora paraense, a artista original de Cachoeira do Arari traz para a cidade de São Paulo um pouco da sonoridade quente que toma conta da música no Norte do Brasil - principalmente o carimbó. Para aqueles que pretendem virar a noite, dançando entre um palco e outro pelo centro da cidade, o show de Dona Onete é um verdadeiro incentivo. A apresentação ocorre no sábado, às 21h.

Metá Metá
Os apreciadores da nova cena musical paulista poderão apreciar, na Estação da Luz, o Metá Metá. A banda está sendo bastante aclamada por sua inventividade com o novo EP (Metá Metá), que traz músicas que já haviam entrado em diversos shows, mas nunca tinham sido gravadas. O disco traz “Atotô”, gravado originalmente por Kiko Dinucci e Juçara no álbum Padê; “Me Perco Nesse Tempo”, que fez parte do repertório da banda pós-punk “As Mercenárias” e o samba “Sozinho”, de Douglas Germano, gravado aqui com do Metá Metá. O show está previsto para 16h do domingão.

Hurtmold
Na Estação da Luz, no sábado, às 20h, se apresenta a banda paulistana de post-rock Hurtmold. Desde 1998 na praça, o grupo conta com uma base de rock e jazz, com diversos instrumentos para chegar à sua sonoridade orgânica, repleta de texturas e sempre aberta a improvisações. Hurtmold é composta por Fernando Cappi (guitarra), Guilherme Granado (teclado, vibrafone, escaleta e eletrônicos), Marcos Gerez (baixo), Mário Cappi (guitarra), Mauricio Takara (bateria e trompete) e Rogério Martins (percussão e clarinete).

Aos 78 anos, Tom Zé acaba de lançar um discoTom Zé
A programação do Palco Barão de Limeira na Virada Cultural 2015 contará com Paulinho Boca canta Novos Baianos, Chico Cesar, Curumin e Ná Ozzeti. Mas o grande destaque do palco é Tom Zé, que tem as ruas do centro de São Paulo em seu DNA. Como um dos mestres da música popular brasileira, lançou aos 78 anos seu último álbum: “Vira Lata na Via Láctea” – disco de inéditas repleto de boas parcerias. Possivelmente, o show contará com apresentação em torno do disco, que traz participações especiais de nomes em ascensão na cena nacional, como Tim Bernardes (O Terno), Trupe Chá de Boldo, Filarmônica de Pasárgada e Silva, além de Criolo, Kiko Dinucci e Tatá Aeroplano. Outros dois expoentes na música nacional engrossam o caldo de boas parcerias: Milton Nascimento, em “Pour Elis” (uma homenagem à Elis Regina) e Caetano Veloso, na faixa “Pequena Suburbana”.

Nelson Ayres e parceiros de piano
Após uma temporada ausente da programação, o “Piano na Praça” volta à Virada Cultural atendendo a pedidos do público. A tradicional atração acontece na Praça Dom José Gaspar (próxima ao Anhangabaú) e recebe diferentes pianistas que, ao longo das 24 horas do evento, tocam músicas eruditas até populares. A programação tem início com o recital de Nelson Ayres às 18h do sábado (20/6), e termina com apresentação de Gilson Peranzzetta, às 18h do domingo, 21. Outros destaques são Lincoln Antonio (dia 20 às 20:00) e João Carlos Assis Brasil (são dia 20 às 22:00).

Odair José
Responsável por alguns dos maiores clássicos do romantismo brega - como Uma vida só (Pare de tomar a pílula) e Vou tirar você desse lugar -, Odair José é um dos principais destaques do palco Rio Branco, por onde também passam as bandas Far From Alaska e Cachorro Grande. Data: sábado, 20 de junho de 2015.

Lira
Os amantes da banda pernambucana Cordel do Fogo Encantado poderão ver e ouvir o músico e compositor Lira, que apresenta seu segundo disco solo: “O Labirinto e o Desmantelo”. O show será na Caixa Cultural São Paulo, no sábado e no domingo. Construída nos últimos dois anos, a obra nos entrega duas palavras que são símbolos de Lira e sua música: a casa labiríntica de múltiplos centros e caminhos, e o fantástico sonho do desmantelo, o desconcerto das muralhas. As 11 faixas que compõem o disco aprofundam o psicodelismo elétrico, construído no disco de estreia solo LIRA (2011), e experimentam instrumentos da música clássica, numa estrutura rítmica comandada por um standup drum desenvolvido por Pupillo, que também assina a produção musical.

Dexter no Vale do Anhangabaú
O rapper Dexter será um dos destaques do fechamento da Virada Cultural, no Vale do Anhangabaú. O ex-membro do extinto grupo de rap 509-E deverá tocar as suas pedradas clássicas, como “Oitavo Anjo”, “Eu Sô Função” e “Salve-se Quem Puder” . Outros nomes que rechearão a apresentação “mil grau” são: Banda Opalas com Sandra de Sá, Pepeu, Thaíde, Posse Mente Zulu (Rappin Hood), Duckjam, e Milton Salles (um dos precursores do Hip Hop e ex-produtor dos Racionais MCs e criador do MH2O - Movimento Hip Hop Organizado).

Rashid
A grande sacada deste show é que Rashid sobe ao palco acompanhado por uma banda completa. Este é um novo formato, que o rapper já anda apresentando em ocasiões especiais. O show cobre toda a carreira do rapper, desde suas primeiras mixtapes até seus últimos singles, incluindo "Patrão" e “Gratidão”, cujos videoclipes estão fazendo um enorme sucesso. Neste domingo Rashid vai surpreender os fãs, que além da agilidade na rima, terão muito feeling em cima do palco. Rashid se apresentará na Ocupação Sesc no Parque Dom Pedro II no domingo, 21/06, às 17h.

Orquestra Paulistana de Viola Caipira
Para deixar a selva de São Paulo um pouco menos de pedras, virá para a Virada a “Orquestra Paulistana de Viola Caipira” (OPVC), que, desde 1997 vem cruzando as fronteiras e encantando as plateias ao interpretar clássicos da música raiz, com arranjos criativos e inusitados da música erudita, MPB e world music.

Tobias da Silva e o samba no pé
Os apreciadores de samba-enredo poderão ver toda destreza do grande intérprete Edimar Tobias da Silva, o conhecido Thobias da Vai-Vai, no Palco Zé do Caroço, que fica na praça da Sé. O cantor, ator, radialista e ex-dirigente de carnaval brasileiro tornou-se célebre por ter sido puxador oficial e, posteriormente, presidente da escola de samba paulistana Vai-Vai. A apresentação ocorre ao meio dia do domingão. No mesmo palco, René Sobral, que passou por grandes escolas como Mocidade Alegre, Vai-Vai e Tom Maior, também marcará presença. René iniciou sua carreira na escola de samba Barroca Zona Sul em 2001, passando pela Mocidade Alegre em 2002, e sendo em 2003 convidado a ser o cantor oficial do samba da Vai-Vai. Desde 2004 vem defendendo as cores da Tom Maior.

Caetano Veloso foi o escolhido para encerrar a edição 2015 da Virada CulturalCaetano Veloso
Com cinco décadas de carreira e uma sequência de obras fundamentais para a música popular brasileira, o cantor e compositor baiano Caetano Veloso foi o escolhido para encerrar a edição 2015 da Virada Cultural. No repertório, composições memoráveis que atravessam as décadas 1960, 1970 e 1980 até alcançar os anos 2000, passagem para o lançamento de registros como Cê (2006), Zii e Zie (2009) e o ainda recente Abraçaço (2012). Local: Palco Júlio Prestes, no domingo, às 18h.

Inscreva-se no Moozyca

Leia também

Sabia que o kuduro pode ter sido inspirado em Van Damme?

Heineken Up on the Roof contará pela primeira vez com shows musicais

Enquanto isso, no extremo norte de São Paulo

Escolas ocupadas recebem Criolo e Paulo Miklos

Cantora alemã Dota fala sobre sua relação com a música brasileira e o Nordeste

Moozyca foi dançar o forró da capital nacional do pé de serra

Não leia este texto, procure um livro sobre música

Rota alternativa: três coisas que você não viu na virada cultural


Inscreva-se no Moozyca