10 álbuns com 10 anos que ainda aparecem no shuffle do meu celular

De Gal Costa a Kenye West, listei discos que já fizeram uma década na minha playlist

É, amigos, o tempo passa. E rápido. Estava aqui em casa, em um daqueles dias de marasmo, quando percebi que alguns álbuns da minha playlist já contavam dez anos de vida. E, sim, lembro quando eles foram lançados. Agora, pra dividir essa constatação alarmante com vocês, listei alguns discos de 2005 que vira e mexe ainda aparecem no shuffle do meu celular.

Sem mais delongas, vamos a eles:

1- Anular (M.I.A)

O álbum de estreia da cantora britânica, de origem tâmil, M.IA fez um baita barulho por aqui. Com pitadas de funk carioca, dancehall, raggaeton, hip hop experimental, ritmos africanos, entre outras cositas más, o disco bombou no Brasil com o hit "Bucky done Gun", um autêntico batidão carioca cantado em inglês.

Não lembra? Ouve aqui:

2- Cansei de Ser Sexy (Cansei de Ser Sexy)

Outra estreia que deu o que falar há dez anos foi a da banda paulistana Cansei de Ser Sexy. Com uma proposta inovadora, um som divertido e descompromissado, e muita agressividade, o grupo chamou atenção no cenário internacional. Muitas faixas do disco tocaram em festas pelo mundo, o que levou os caras a fecharem contrato com a Sub Pop.

Pra relembrar por que a banda fez tanto sucesso, vamos de "Alala":

3- Futura (Nação Zumbi)

O sexta disco de estúdio da banda pernambucana, e o terceiro com o Jorge Du Peixe, é carregado de elementos eletrônicos, guitarras cirurgicas e vocais psicodélicos. Um dia desses trombei com uma faixa do disco na minha playlist... O álbum consolidou a nova fase do grupo e emplacou sucessos como "Hoje, amanhã e depois", que a gente vai ouvir agora:

4- Guero (Beck)

Em 2005, Beck lançou seu nono álbum de estúdio, o "Guero", que tem samples de Vinícius de Moraes, e participações dos caras dos Beastie Boys, do Jack White, dentre outros artistas. É a melhor coisa que o Beck fez depois do clássico "Loser", do começo da década de 1990. A obra-prima do álbum, pra mim, é "Qué Onda".

Nunca escutou? Então se liga:

5- Capture (The Rakes)

Com uma vida curta, mas intensa, a banda de pós-punk britânica The Rakes lançou seu primeiro álbum, "Capture", em 2005. O disco foi extremamente elogiado pela crítica e tornou a banda conhecida nos circuitos undergrounds pelo mundo. Ainda hoje rolou no meu celular.

Descolei um link full album pra gente ouvir:

6- Hoje (Gal Costa)

Pensa em uma mulher com moral; essa é Gal Costa. Há dez anos a cantora lançou o "Hoje", álbum que trouxe canções inéditas e compostas especialmente para ela, por, apenas e simplesmente, Chico Buarque e Caetano Veloso. É zycas, a pessoa tem bons amigos. Mas Gal também deu luz a novos compositores, como Moisés Santana e Péri, neste disco. Uma das principais intérpretes da música brasileira estava em ótima fase naquele ano, cantando com todo o coração e, é claro, com sua já tradicional potência vocal fora do comum.

Bora escutar a música que deu nome ao play, "Hoje":

7- Late Registration (Kenye West)

O segundo trampo de estúdio do Kenye West foi um dos mais aclamados de 2005, figurando no topo de todas as famigeradas listas de melhores discos do ano. E, olha, foi merecido. O álbum tem linhas de teclado épicas, com texturas envolventes e melodias fantásticas. Além disso, o rapper destila uma série de rimas destruidoras mostrando por que é o principal nome de sua geração.

Pra ilustrar essa obra, escolhi a linda "Heard 'Em Say", que contou com a participação do vocalista do Maroon 5, Adam Levine:

8- 4 (Los Hermanos)

Depois de passar pela controversa fase "Ana Júlia", os Los Hermanos ganharam uma legião de fãs com os álbuns "Bloco do Eu Sozinho", "Ventura" e "4". O último, lançado em 2005, foi o mais cultuado pelos fanáticos seguidores do grupo carioca. E também é o trabalho que deu uma forma definitiva ao estilo tão peculiar da banda, com belas canções de Rodrigo Amarante e Marcelo Camelo.

Vale lembrar a visceral "Condicional":

9- Takk... (Sigür Rós)

"Takk..." é o quarto álbum de estúdio da banda islandesa Sigür Rós - famosa pelas melodias dramáticas, pelos elementos minimalistas e pelas viagens experimentais intermináveis. O primeiro single do disco, "Hoppípolla", chegou, de forma surpreendente, a ficar entre as mais tocadas do Reino Unido no ano seguinte. Mas não esperem nenhuma balada pop, a parada é bem estranha, como tudo que o genial grupo produz.

Se liga na viagem:

10- Lullabies to Paralyze (Queens of the Stone Age)

Fala aí, zyca: quem não lembra de assistir ao clipe de "Little Sister", do Queens of the Stone Age? É, rapaziada, essa música foi lançada no quarto álbum de estúdio da banda, o "Lullabies to Paralyze", de 2005. "Little Sister" foi um dos hits que marcaram aquele que foi, até hoje, o melhor disco dos caras. Ah, quase esqueci: esse é primeiro trabalho da banda sem o baixista Nick Oliveri, que foi expulso do grupo pelo vocalista Josh Homme não se sabe bem por quê.

Então, pra fechar esta lista, vamos de "Little Sister":

Inscreva-se no Moozyca

Leia também

Cantora alemã Dota fala sobre sua relação com a música brasileira e o Nordeste

O guitarrista mais rápido do oeste

“Nunca parei, eu saí de cena”, conta Di Melo

Com 81 anos, João Donato lança álbum de inéditas após 15 anos

Erivan contou ao Moozyca como o Rap o levou do Castelo Encantado à Finlândia

O cientista da vanguarda baiana

Raul Seixas que me desculpe, mas o diabo é o pai do blues

Pela música, dormi na rua. Quem nunca?


Inscreva-se no Moozyca